­Top Banner Advertisement

 

Sinpoapar esclarece perícia não realizada em celular da Operação "Quadro Negro"

Reportagens sobre os últimos desdobramentos da Operação Quadro Negro, divulgadas nos últimos dias, falam que uma perícia feita pelo fabricante de um dos smartphones apreendidos resultou na abertura de dois inquéritos criminais para investigar o envolvimento dos deputados estaduais Ademar Traiano (PSDB) e Plauto Miró (DEM) nos desvios de mais de R$ 20 milhões da construção e da reforma de escolas estaduais.

Operação Margem Controlada: o que há por trás da notícia?

Duas notícias veiculadas pela imprensa paranaense esta semana mereceram uma análise do Sinpoapar sobre como a informação precisa ser tratada com mais responsabilidade, para evitar a desinformação do leitor/cidadão. Uma delas tratou da “Operação Margem Controlada” da Polícia Civil do Paraná e que contou com o apoio da Polícia Científica, ou seja, com a participação de peritos oficiais. A outra estava relacionada à revogação da prisão preventiva de um suspeito de um homicídio ocorrido em agosto de 2016, devido ao atraso na perícia do celular da vítima.

Resultado de ação na justiça pela promoção de servidores com 15 anos na classe

O Sinpoapar comunica que obteve sucesso em ação movida na 1ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba. Em nome de 26 filiados, esta ação judicial, de 2012, exigiu o cumprimento do dispositivo da lei estadual 14.678/2005 que permite a promoção dos servidores do Quadro Próprio de Peritos Oficiais (QPPO) que completam 15 anos na classe.

Susp entra em vigor com pouca adesão dos estados

Das 27 unidades federativas que deveriam estar integradas no Sistema Único de Segurança Pública (Susp), apenas 11 compartilham dados na plataforma do governo federal. Aprovado em 11 de junho, o Susp entrou em vigor no dia 12 de julho. Todos os estados são obrigados a aderir à integração. A expectativa do Ministério Extraordinário de Segurança Pública é de que, até 2019, os dados do país estejam unificados.

Data-base: votação em segundo turno fica para depois das eleições

O projeto de lei que reajusta a data-base dos servidores do Governo do Paraná, entre eles os da Polícia Científica, só será votado em segundo turno pela Assembleia Legislativa após as eleições. É que a governadora Cida Borghetti, no dia 10 de julho, decidiu retirar a proposta da pauta de votações, depois que deputados estaduais apresentaram uma emenda elevando o percentual de aumento de 1% para 2,76%.

Sinpoapar cobra explicações sobre corte de nomeações para a Polícia Científica

Após a confirmação da redução do número de nomeações para a Polícia Científica do Paraná – de 292 para 162 – o Sinpoapar, na figura do presidente Alexandre Brondani, se reuniu com a direção da PCP no dia 5 de julho para tratar das razões do corte de vagas. Leon Grupenmacher, diretor, explicou que o Governo do Paraná decidiu cancelar 130 vagas por orientação da Secretaria Estado da Fazenda (Sefa), apesar de toda a negociação com todas as secretarias estaduais relacionadas. A Sefa foi responsável pela não ampliação de todas as vagas necessárias.

Páginas

Top