­Top Banner Advertisement

 

Foto de Pedritta Garcia
Data-base: Cida Borghetti nega a reposição da inflação aos servidores

Contrariando os dados apresentados pelas entidades sindicais ligadas ao funcionalismo público estadual, a governadora Cida Borghetti anunciou, nesta segunda-feira, 25 de junho, o reajuste de 1% para 310 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas. O projeto de lei da data-base foi protocolado na Assembleia Legislativa do Paraná e deve passar pelo plenário da Casa essa semana.

O percentual apresentado pelo Governo do Paraná está aquém da proposta de reajuste defendida pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES), do qual o Sinpoapar é integrante. Na mobilização da semana do dia 11 de junho, a categoria apresentou dados que comprovam a possibilidade do pagamento de 2,76% da data-base, referente aos últimos 12 meses. O reajuste pedido é o mesmo proposto para os servidores dos poderes Legislativo e Judiciário – Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Ministério Público e Defensoria Pública – e que só não foi aprovado nos dias 11 e 12 de junho, devido à pressão das entidades sindicais.

O FES não aceita o índice e não concorda com os dados apresentados pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), neste 25 de junho, sobretudo porque o órgão se negou a debater os números da receita do Paraná. A categoria pede a reabertura da negociação, junto aos deputados estaduais e ao próprio Palácio Iguaçu. Caso o índice proposto por Cida Borghetti seja mantido, o salário do funcionalismo – que desde 2015 já acumula uma perda de 12% – sofrerá um encolhimento ainda mais significativo.

Não há condições de se votar um reajuste de 2,76% para os servidores do Legislativo e Judiciário e de 1% para os funcionários do Poder Executivo, entre eles os da Polícia Científica – quem integra o QPPO, quem está aposentado, quem foi cedido para a PCP e até os servidores temporários (contratados via PSS).

Assessoria de Comunicação

Sinpoapar
  • Comentários

0 Comentários

Top