­Top Banner Advertisement

 

Foto de Pedritta Garcia
Sinpoapar apoia combate ao abuso e exploração sexual de menores

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, neste 18 de maio, é mote de diversas campanhas espalhadas pelo país e que são desenvolvidas por diferentes esferas do poder público e pela sociedade civil organizada. Como a perícia oficial de natureza criminal lida com casos relacionados a esses crimes diariamente, é claro que o Sinpoapar não poderia deixar de apoia ações de prevenção como essas.

A sociedade precisa assumir a responsabilidade contra o abuso e a exploração sexual de meninos e meninas, precisa proteger nossas crianças e adolescentes. E no Paraná, a campanha “Não engula o choro”, do Governo do Estado, procura sensibilizar a todos para esse problema com foco na redução da subnotificação e incentivo à denúncia desses crimes.

No nosso estado, as denúncias de violações de direitos, inclusive dos menores de idade, podem e devem ser feitas pelo Disque Denúncia 181, Disque 100 ou na unidade do conselho tutelar mais próxima da sua casa. “Dados do disque-denúncia 181 informam que, de 2016 para 2017, o número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes aumentou 37,6%, saltando de 843 para 1.166”, alerta o governo estadual.

Já um levantamento da Unicef Brasil aponta, por exemplo, que em 2016, mais de 76 mil denúncias de violências contra menores de idade “foram notificadas pelo Disque Direitos Humanos e disponibilizadas pela Secretaria Especial de Direitos Humanos”. Desse total, continua o órgão, “37,6% referem-se a casos de negligência e abandono, 23,4% de violência psicológica, 22,2% de agressão física e 10,9% de sexual. A violência sexual contra crianças e adolescentes é uma grave violação dos direitos humanos e deve ser enfrentada”.

Se tiver informações relacionadas ao abuso, à exploração sexual e à violência contra crianças e adolescentes, ou até sobre maus-tratos, negligência e pornografia infantil, você pode e deve ligar para o 181 ou 100, a ligação é gratuita e o usuário não precisa se identificar.

Assessoria de Comunicação - Sinpoapar

Foto: Divulgação/SEDS
  • Comentários

0 Comentários

Top